O Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas (PPGCF) foi criado em 2005 e homologado pelo CNE em 2006 (Portaria Nº 2.000 - DOU 21/12/06 - Parecer 165/2006 de 20/12/2006), objetivando construir um espaço de excelência para os estudos na área das Ciências Farmacêuticas, fomentando a formulação de estratégias de pesquisa, capacitando recursos humanos para atuar na região e estabelecer cooperação técnico-acadêmica com instituições regionais, nacionais e internacionais visando o entendimento do processo saúde x doença e o aproveitamento da biodiversidade para melhoria da qualidade de vida do amazônida.

A Área de Concentração do PPGCF é “Fármacos e Medicamentos” e as Linhas de Pesquisa são: Avaliação Biológica de Princípios Ativos Naturais e Sintéticos; e Desenvolvimento e Avaliação de Medicamentos Naturais e Sintéticos. Nestas duas linhas estruturantes, o PPGCF se propõe a auxiliar a esclarecer mecanismos fisiopatológicos de doenças prevalentes na Amazônia, avaliar a atividade biológica de espécies vegetais nativas, assim como, realizar a caracterização química de espécies vegetais nativas, desenvolver fitoterápicos e fitocosméticos, seu controle de qualidade e avaliar suas formas de usos, além de empregar ferramentas computacionais para propor modificações químicas em moléculas derivadas de vegetais ou sintéticas contribuindo para o aproveitamento racional da biodiversidade amazônica.

Desta forma, o PPGCF visa capacitar os profissionais a fim de atingir os seguintes objetivos específicos:

 1. Formar recursos humanos altamente qualificados para exercer atividades docentes e de pesquisa na área de fármacos e medicamentos a fim de atender as demandas relativas ao aproveitamento racional dos recursos naturais da Amazônia, tornando-os aptos à formulação de estratégias de pesquisa na área de Ciências Farmacêuticas na região, assim como em outras Regiões Brasileiras e outros países;

2. Aproveitar a biodiversidade amazônica com o propósito de desenvolvimento tecnológico de medicamentos como alternativas terapêuticas;

3. Promover diálogo continuado com a graduação, com vistas à formação de pesquisadores comprometidos com o desenvolvimento das Ciências Farmacêuticas na região.

 4. Integrar as diferentes atividades de pesquisa e ensino gerando uma perspectiva inovadora de investigação das Ciências Farmacêuticas na Amazônia que constituirá a base para formação de novos pesquisadores;

5. Catalisar a formação de núcleos de produção de conhecimento em outros estados da Amazônia e incentivar cooperações entre os Docentes do Programa e Instituições internacionais, a partir da articulação de redes de pesquisa.

Desde o primeiro processo seletivo, em agosto de 2006, o PPGCF já formou mais de 160 mestres em ciências farmacêuticas, com graduação em diversos cursos, como Farmácia, Odontologia, Química, Enfermagem, Fisioterapia, Engenharia Química entre outros, oriundos de outros estados do Norte, Sul e Sudeste do País, inclusive de outros Continentes, incluindo a África, que escolheram a Amazônia para desenvolver suas pesquisas, indicando a importância e o papel estratégico do Programa para capacitação de recursos humanos voltados a região amazônica. Atualmente, o Programa conta com 20 bolsas da CAPES e 6 bolsas do CNPq. Em 2018, o quadro docente é composto por 20 docentes, dos quais 14 são pesquisadores permanentes, 05 colaboradores e 01 pesquisador visitante. Destes, 13 são lotados na Faculdade de Farmácia, Faculdade de Química (2), Faculdade de Engenharia Química (1) e Instituto de Ciências Biológicas (3 ), 1 pesquisador visitante da UFMG. Em 2017, o quadro docente permanente contava com cinco bolsistas de Produtividade em Pesquisa e três bolsistas de Desenvolvimento Tecnológico. Os docentes são especialistas nas diferentes linhas de pesquisa das Ciências Farmacêuticas, com dedicação exclusiva e pertencentes ao quadro da UFPA, o que permite que os créditos obrigatórios e complementares necessários à titulação sejam obtidos nas diversas disciplinas ministradas no Programa. Excepcionalmente e de acordo com recomendações do orientador, os discentes cursam disciplinas em outros programas de pós-graduação.  Todos os docentes possuem experiência em orientação de Mestrado e boa parte destes em Doutorado.